Publicidades

Mesmo preso, Flávio Cabaré toma posse como vereador de Conde

Mesmo preso por suspeita de exploração sexual, Flávio de Melo, conhecido como Flávio Cabaré (PR), conseguiu tomar posse como vereador na Câmara Municipal de Conde, na manhã desta quinta-feira (30), por meio de uma procuração pública apresentada junto à Mesa Diretora da Casa, em nome do seu irmão, Fábio de Melo, na condição de seu procurador.
Ele assumiu o mandato na vaga aberta com a renúncia do ex-vereador Fernando Antônio Neves de Araújo, o Fernando Boca Louca (PT do B), no último dia 10, alegando motivos de foro íntimo, mas também é um dos investigados na operação Cavalo de Tróia, que apura denúncias de um esquema de corrupção envolvendo a devolução de salários pagos a assessores contratados sem concurso público e utilizados como laranjas.
Após formalizar a posse, o procurador de Cabaré formalizou o pedido de licença sem vencimentos do novo parlamentar, por um período de 120 dias, para tratar de assuntos particulares, porque como está preso preventivamente, não poderá comparecer as sessões, e de licença, não correrá o risco de ter o mandato cassado devido as faltas nas sessões.
De acordo com  procurador da Câmara, João Luiz Sobral, O pedido de licença apresentado por Flávio Cabaré foi homologado pela Mesa Diretora da Casa, que já convocou suplente Luiz Silveira de Paula, o Luiz de Bihino (PR), para assumir o mandato interinamente. A expectativa é que ele se apresente na próxima segunda-feira, à tarde, para ser empossado e substituir o novo titular licenciado.
O vereador Flávio do Cabaré foi preso no último dia 22 de abril em cumprimento de mandado de prisão, acusado de crimes previstos nos artigos 228 (favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual), 229 (casa de prostituição), 230 (rufianismo) e 288 (associação criminosa), todos do Código Penal (CP). Ele foi detido durante protesto na Câmara Municipal de Conde, e após ter denunciado o ex-vereador Boca Loca, de empregar de servidores laranjas. Ele foi encaminhado ao 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), mas  transferido com os demais presos civis provisórios para um setor especial do Complexo Penitenciário de Mangabeira. 

Suplentes no mandato

Além de Flávio Cabaré, a Mesa Diretora da Casa deu posse na sexta-feira da semana passada aos  suplentes Adaílton Cabral (PTB) e  Nildo Lacerda (PSB) em substituição aos vereadores Ednaldo Barbosa da Silva, o Naldo Cell (PT), e Malbatahan Pinto Filgueiras, o Malba de Jacumã (Solidariedade), respectivamente.
Os dois vão permanecer na titularidade do mandato até surtirem os efeitos da decisão judicial que mantém os vereadores Naldo Cell e Malba de Jacumã afastados de suas funções e cumprindo prisão domiciliar, com o uso de tornozeleiras eletrônicas. Eles também estão sendo investigados pela operação Cavalo de Tróia, deflagrada pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deccor), da Polícia Civil da Paraíba, e pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB).

Votação dos Suplentes

Flávio Caberá, que obteve 431 votos nas eleições 2016. Já o segundo suplente Luiz Silveira de Paula, o Luiz de Bihino (PR), que obteve 402 votos. Os dois suplentes que assumiram de forma interina, no lugar dos dois vereadores presos na Operação Cavalo de Tráia, eles tiveram a seguinte votação: Adailton Cabral, 295 votos e  Nildo Lacerda, 324 votos.
*Adriana Rodrigues, do Jornal CORREIO