Publicidades

Barreiros que impediam água em açude são destruídos

Diversos barreiros irregulares que estavam impossibilitando a chegada de água ao açude de Canafístula II, na região do Brejo paraibano, foram destruídos após serem detectados por uma fiscalização que envolveu a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) e o Ministério Público da Paraíba (MPPB). A ação aconteceu no dia 11 deste mês.
Os barreiros haviam sido denunciados pelo Portal Correio após leitores enviarem vídeos reclamando da situação, já que a região recebia muita chuva, mas Canafístula II não estava aumentando de volume.
Na época da denúncia, o açude tinha armazenado 247.976 mil metros cúbicos (m³), do total de 4.102.626 m³ que pode comportar. Atualmente, o manancial está com 253.265 m³, segundo dados da Aesa.
Ao Portal Correio, o diretor de Acompanhamento e Monitoramento da Aesa, Beranger Araújo, afirmou que os responsáveis pelos barreiros ilegais foram identificados e notificados, se comprometendo ao MPPB a não construírem outras pequenas barragens.
“A fiscalização conseguiu ter êxito e localizou as irregularidades, destruindo os barreiros ilegais e liberando água para Canafístula. Outra situação vista foi a de dois pequenos tanques, que estavam secos, construídos por um professor para início de piscicultura. Ele assinou termo de compromisso para não usar os tanques enquanto não recebesse autorização da Aesa”, disse Beranger.