Publicidades

Grupo é investigado por apologia ao nazismo e racismo na PB


Cinco jovens serão investigados pela Polícia Civil após a criação de um grupo no WhatsApp para fazer apologia ao nazismo e racismo, na região de Cajazeiras, no Sertão do estado. Conforme a Polícia Civil, quatro desses jovens, que têm entre 15 e 16 anos, são estudantes de uma escola da rede pública do município.
Segundo o delegado à frente das investigações, Francisco Filho, o grupo teria dois mentores principais, um deles mora no Paraná. A polícia suspeita que esse jovem possa ser um adulto infiltrado em um falso perfil, uma vez que o único contato entre ele e o aluno da escola na Paraíba seria apenas virtual.
“O celular desse menor foi apreendido, com autorização dos pais, já que os ataques eram genéricos. Os jovens trocavam mensagens dizendo acreditar que o grande mestre deles é Adolf Hitler e que para demonstrar amor a ele teriam que matar o maior números de judeus, negros e ciganos, mas eles não especificam no grupo um ataque à escola ou outro lugar,” disse o delegado.
Ainda segundo o policial, o grupo teve início a partir do sábado (7), pelo jovem que teve o celular apreendido e o suspeito do Paraná. Segundo o delegado, os dois eram quem mais incitavam violência no grupo. Um dos outros três envolvidos saiu do grupo e teria espalhado prints da conversa pelo WhatsApp, até que chegaram à polícia.
“O menor que já foi ouvido disse que tem contato com esse amigo virtual do Paraná há cerca de três anos, ele pode ser um jovem, mas acreditamos que um adulto pode estar envolvido. O que já abordamos disse que tudo não passou de uma ‘trolagem’, mas o papel da polícia é investigar pela questão racista e ameaças de mortes. Essas coisas não deixam de ser crime,” finalizou o delegado.

Crime

Conforme a Lei 7.716 de 5 de janeiro de 1989, no artigo 20, “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” e, no parágrafo 1º, “fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo”, configuram crimes com penas que incluem multa e prisão.
Portal Correio