Publicidades

Paraibana que saiu para comprar fraldas para filha é encontrada carbonizado em mata na cidade de São Paulo

A polícia encontrou na tarde desta quarta-feira (11) o corpo da jovem paraibana Aline Silva Dantas, de 19 anos, que estava desaparecida desde a tarde de domingo (8). Ela foi encontrada em uma área de mata cercada por residências na Vila Santa Luzia, em Alumínio (SP). Aline era natural da cidade de Riacho dos Cavalos na Paraíba.
O corpo estava coberto por pedaços de madeira e estava parcialmente carbonizado. A identificação foi feita com base nos traços da vítima e de pedaços do vestido que ela usava no dia do desaparecimento.
Aline tinha sido vista pela última vez quando saiu a pé de casa para ir até a farmácia comprar fraldas para a filha, de um ano e nove meses.
Equipes de buscas se mobilizaram desde domingo para encontrar a jovem. A polícia teve o apoio de cães farejadores da Guarda Municipal de Itupeva.
O corpo de Aline será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).
Corpo de Aline Silva Dantas foi encontrado em uma área de mata em Alumínio (SP) — Foto: Reprodução/Google Maps
Corpo de Aline Silva Dantas foi encontrado em uma área de mata em Alumínio (SP) — Foto: Reprodução/Google Maps

Câmeras de segurança

À TV TEM, a mãe de Aline, Maria Zuleide Silva, disse que a filha não costumava sair sozinha e que, geralmente, só saía para ir até a igreja ou acompanhada com a família.
Imagens feitas por câmeras de segurança de casas e comércios de Alumínio mostram Aline momentos antes de desaparecer. Em um vídeo, a jovem aparece entrando na farmácia onde compraria as fraldas. Em outras imagens, Aline aparece passando por ruas da cidade, sempre sozinha.
Segundo a polícia, Aline tentou usar um cartão corporativo do marido para comprar as fraldas, que não funcionou porque estava desativado pela empresa onde o companheiro trabalhava.

Bebê pedia a mãe

O desaparecimento de Aline causou preocupação em toda a família. A filha dela, de um ano e nove meses, perguntava pela mãe o tempo todo.
“Ontem ficamos falando que a mamãe tinha ido trabalhar, que a mamãe já voltava. Aquela angústia de você olhar pra ela, pedindo a mãe e ela ainda mama. Ela tem um ano e nove meses, um doce de menina”, diz o cunhado, Kenom de Almeida.
A bebê está sob os cuidados da avó paterna, com quem mora.
G1