Publicidades

Saiba qual o golpe mais frequente na Black Friday e como se proteger


A Black Friday é uma data muito aguarda pelos consumidores por oferecer uma grande variedade de produtos a um preço mais baixo. As promoções são uma tentação, mas é preciso ficar atento para não ser vítima de phishing, o golpe mais frequente nessa época do ano.
Segundo levantamento realizado pela Kaspersky de novembro de 2018 até novembro deste ano, o Brasil é o país onde ocorrem o maior número de casos de phishing no mundo, com mais de 30% dos usuários vítimas de ataques.
O phishing tem como objetivo coletar informações pessoais dos usuários por meio de páginas falsas na internet, links que foram manipulados e por cadastros que redirecionam as informações para banco de dados de criminosos.
Apesar de parecer algo de pouca importância ter um email ou o nome completo coletado de maneira irregular, são essas informações que podem ajudar a criar brechas para golpes maiores.
“O Phishing não é usado só pela questão financeira, como o roubo de cartão de crédito e de dados da conta bancária. Esse ataque também busca informações pessoais e logins que podem ser usados em outros tipos de ataques”, diz Thiago Marques, da equipe de pesquisa e análise global da Kaspersky.
O especialista alerta para o uso das mesmas senhas em diversas plataformas.  Dessa forma, a partir de um único login roubado é possível acessar outros perfis e assim obter mais dados que podem alimentas banco de dados ilegais.
Marques explica que o consumidor não deve evitar fazer compras durante a Black Friday, mas orienta desconfiar de preço baixos demais ou de promoções exageradas.
“Suspeite de tudo, principalmente de ofertas recebidas por e-mail. Se você recebeu uma uma promoção do seu interesse, procure pela mesma oferta no site oficial da loja e confira se o valor cobrado é o mesmo. Antes de concluir a compra, garanta que aquilo é verdadeiro para não cair em golpes”, orienta o especialista.
S1