Publicidades

O Antagonista diz que Ricardo Coutinho entrou em lista de procurados da Interpol


O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), alvo de mandado de prisão preventiva no âmbito da Operação Calvário – Juízo Final, está fora do país e segundo O Antagonista, teve seu nome incluído na difusão vermelha da Interpol, lista de pessoas procuradas por outros países.
Na manhã desta terça-feira (17), 350 policiais cumpriram 54 mandados de busca e apreensão e 17 mandados de prisão nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Goiânia e Paraná. Ricardo Coutinho teve a prisão preventiva decretada, mas está fora do país.
A Polícia Federal e Ministério Público investigam esquema de desvio de recursos públicos destinados aos serviços de saúde na Paraíba, “por meio de fraudes em procedimentos licitatórios e em concurso público, corrupção e financiamento de campanhas de agentes políticos, bem como superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos”.
Segundo a PF, teriam sido desviados R$ 134,2 milhões, dos quais mais de R$ 120 milhões destinados a agentes políticos e a campanhas eleitorais de 2010, 2014 e 2018.
A reportagem tentou contato com o presidente do PSB, Carlos Siqueira, e também com a Fundação João Mangabeira, da qual Coutinho é presidente, mas as ligações não foram atendidas.