Publicidades

Quase um terço dos paraibanos tem alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diz SBC


Uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Regional Paraíba aponta que quase um terço da população paraibana tem alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Conforme o estudo, 32% dos paraibanos entrevistados possuem grandes chances de apresentarem problemas no coração. Estão representados na pesquisa 186 municípios paraibanos.

O levantamento, coordenado pelo médico cardiologista Antonio Eduardo Monteiro de Almeida, indica que outros 35,3% possuem risco intermediário e 32,7% apresentam risco baixo de algum problema cardíaco. As informações foram coletadas em quatro mesorregiões do estado: Agreste, Borborema, Mata e Sertão.

O levantamento registrou características sociais e comportamentais, fatores biológicos e hábitos nutricionais dos participantes. Na primeira fase, que se concentrou na aplicação de questionários, participaram cerca de 2.170 pessoas. Já na segunda etapa, aproximadamente 1.400 pessoas foram submetidas a exames clínicos.

A pesquisa também indica que o sedentarismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares entre paraibanos. Conforme o estudo, 65,6% dos entrevistados possuem maior probabilidade de apresentarem problemas no coração por não praticarem atividades físicas.

Entre as principais causas de problemas cardíacos também estão o histórico familiar, o tabagismo, o alto nível de colesterol ruim no sangue, obesidade, alterações da pressão arterial e doenças como a diabetes. "Na Paraíba, quando pegamos alguns resultados de pesquisas de outros estados (em relação à obesidade), estão bem mais abaixo, e aqui os números estão bem mais elevados", explica o cardiologista Antônio Almeida.

G1