Publicidades

Secretarias municipais devem informar sobre coronavírus em sistemas oficiais

O número de novos casos diários de coronavírus divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) foi menor entre sexta-feira (22) e segunda (25), aparentando que a proliferação do novo vírus estaria em queda no estado. Na verdade, ocorreu uma alteração na forma de comunicação desses dados entre as secretarias municipais e a SES, o que ocasionou a falsa impressão de que menos pessoas estão sendo contaminadas.
Na quinta-feira (21), houve um pico de 644 novos casos em 24 horas. Na sexta (22), o número foi um pouco menor, marcando 626, e seguiu caindo ao longo do fim de semana, chegando a 193 na segunda-feira (25). Porém, nesta terça (26), 903 novos casos foram confirmados em um dia. Observe os dados no gráfico abaixo.

Mudança adotada pela SES

A SES informou ao Portal Correio nesta terça (26) que não está aceitando mais que as Secretarias Municipais de Saúde informem novos casos de coronavírus sem que notifiquem nos sistemas oficiais do Ministério da Saúde, o que caracterizaria subnotificação.
Essa mudança no sistema de coleta de notificações sobre Covid-19 na Paraíba ocorre desde quinta (21). A partir de então, só são validados os casos informados nos sistemas oficiais de notificação (Sivep gripe e E-sus VE). “Tal medida, junto com o esforço para realização de testes na população, é de extrema importância para que tenhamos cada vez menos subnotificação no nosso estado e o real retrato do tamanho da pandemia por toda a Paraíba”, disse a SES.
A Pasta divulgou ainda que a metodologia foi aprovada pelos Municípios em reunião do Conselho Intergestores Bipartite ocorrida na quinta e não serão mais incorporados os dados que sejam notificados por outros meios. “Entram no boletim diário os dados informados até às 10h da data corrente”, disse.
Por essa razão, a SES explicou que os municípios com maior número de casos poderão necessitar de alguns dias para ajustes, considerando o volume de registros ou instabilidade no sistema. “Porém, em alguns dias, a Paraíba poderá ter todos os dados oficialmente notificados”. Nesta terça (26), a Pasta disse que prevê normalização dessas informações em uma semana.
Ainda conforme a SES, os Municípios são obrigados a fazer a comunicação sobre casos de coronavírus nos sistemas oficiais ou não poderão, por exemplo, receber kits de testes para aplicação na população.

Ministério da Saúde reforça obrigação dos Municípios

O Ministério da Saúde informou ao Portal Correio que o Brasil possui uma rede de vigilância de influenza e outros vírus respiratórios estabelecida, na qual são monitorados os perfis de casos e óbitos de doenças respiratórias. A pandemia da Covid-19 é um evento de saúde pública de notificação imediata e deve ser notificada em até 24 horas para a Pasta.
Atualmente, existem dois sistemas de informação de captação de casos suspeitos e confirmados para a Covid-19, o e-SUS VE, que registra casos de Síndrome Gripal (SG), e o Sivep-gripe, que registra os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Segundo o MS, essas orientações constam no Guia de Vigilância da Covid-19, para os profissionais de saúde.
“O Ministério da Saúde, semanalmente, discute e fortalece com as equipes de vigilância dos estados a necessidade da notificação e digitação oportuna dos casos suspeitos e confirmados para Covid-19”, disse em nota ao Portal Correio.
Apesar disso, o MS disse que a subnotificação de casos é esperada pelas características da doença e pela falta mundial de disponibilidade de testes. “Cerca de 80% das pessoas que tiverem contato com o novo coronavírus serão assintomáticas, portanto, nem saberão que contraíram o vírus, ou ainda terão sintomas leves semelhantes a uma gripe comum. Este é o cenário que se verifica em outros países. Por isso, seguindo a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de testar o maior número de pessoas, a Pasta mantém esforço permanente para ampliar a testagem para coronavírus na rede de saúde”, explicou.
O Ministério da Saúde informou ainda que tem previsão de adquirir mais de 40 milhões de testes para a população por meio da rede pública de saúde. “Estão estabelecidos testes para os casos graves e óbitos (testes biológicos) e para os profissionais da Saúde e segurança (testes sorologicos)”.
O MS finalizou explicando que não é esperada, no entanto, a subnotificação dos pacientes internados por SRAG, pois todos seguem com fluxo de coleta de amostras que são enviadas aos laboratórios, juntamente com a cópia da ficha de notificação. Os pacientes que evoluem ao óbito também, afinal todas as mortes de SRAG por Covid-19 são de notificação obrigatória e serão investigadas.