Publicidades

Em Patos, professora e pós doutora em farmacologia da UFPB faz alerta importante sobre tratamento da COVID – 19 com Ivermectina e Cloroquina

A professora e pós doutora Bagnólia Araújo Costa, que ministra aulas de farmacologia na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), tem mestrado em farmacologia química em produtos naturais, é doutora em biologia molecular, além de pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico na área de farmacologia, com 29 anos de experiência na área de farmacologia, fez participação relevante no Programa Polêmica, da Rádio Espinharas FM 97,9.
Dra. Bagnólia Araújo se mostrou bastante preocupada com a forma que vem sendo tratada o novo coronavírus, COVID – 19. Falando com propriedade, a doutora relatou que a doença é bastante nova e, portanto, as pesquisas são recentes e se fazem necessárias algumas observações para evitar problemas de saúde maiores do que a própria doença pode causar ao ser humano, pois alguns medicamentos vêm sendo usados de forma imprudente.
Descrevendo minuciosamente características da COVID – 19, Dra. Bagnólia Araújo fez observações preocupantes sobre o uso da Ivermectina, da Cloroquina e da Hidroxicloroquina. Sobre a Cloroquina e a Hidroxicloroquina, a pesquisadora disse que a comunidade internacional já descartou o remédio diante do tratamento da COVID – 19, pois, a aplicabilidade da medicação tem levado a morte precoce de pacientes tratados, além de provocar arritmia ventriculares, cegueira e outros problemas que levam a morte. Dra. Bagnólia fez críticas aos médicos que não estão seguindo as diretrizes científicas e receitando tal medicação.
Sobre a medicação Ivermectina, Dra. Bagnólia foi ainda mais enfática. A pesquisadora relatou que tal medicação é completamente ineficaz para tratar a COVID – 19. A medicação pode causar problemas no sistema nervoso e causar toxicidade nos neurônios. A Ivermectina é extremamente perigosa e contraindicada por fazer interação medicamentosa com ansiolíticos, além de estudos demonstrarem que a droga é nociva para a saúde por ser consumida como vem sendo para precaução da COVID – 19.
O Patosonline.com disponibilizou a entrevista completa e pede atenção aos internautas cidadãos diante da alerta da Dra. Bagnólia Araújo.

Jozivan Antero – Patosonline.com