Publicidades

Conselheiro do TCE é flagrado jogando cheques em lixeira durante operação da PF; vídeo

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), Waldir Teles teve a prisão preventiva decretada no dia 1º de julho pela conduta registrada nos vídeos. O advogado está preso no Centro de Custódia de Cuiabá.
A cena inusitada aconteceu quando a PF chegou no escritório de Waldir Teis. O conselheiro afastado desceu 16 andares do prédio para tentar se livrar de quase R$ 500 mil em cheques.
As imagens mostram o conselheiro saindo do escritório, enquanto os policiais estavam no local. Teis, que usava máscara, desce 16 andares correndo.
A fuga sorrateira é percebida por um agente da PF, que segue os passos de Teis pelas escadas.
Ainda segundo a Procuradoria, o conselheiro percebeu a aglomeração de policiais em uma única sala, daí então recolheu os talões de cheques com folhas assinadas, algumas com o preenchimento do valor estipulado e outras sem a cifra anotada –os papéis ainda seriam analisados pelas autoridades.
O advogado de Waldir declarou que o servidor realmente tentou esconder os cheques. “Havia justificativas para aqueles cheques e já foram explicados à Polícia Federal. Ele queria mesmo é preservar seus familiares que estavam sofrendo por conta de todas as acusações e seu afastamento do TCE“, disse.
Waldir Teis, Antonio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo e Valter Albano, todos conselheiros do TCE-MT, estão afastados de seus cargos desde 2017, após delação do ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa que detalhou o suposto pagamento de propina aos integrantes do Tribunal.
Segundo a delação de Silval, os conselheiros cobraram pagamento para não atravancar a execução das obras para a Copa do Mundo de 2014 no Estado. Ele disse ter pagado R$ 53 milhões.