Publicidades

Suplente de senador acusado de envolvimento na Operação Calvário assume vaga de Veneziano; Senadora Daniela também pede licença

 


O suplente de Senador, envolvido na Operação Calvário, Ney Suassuna assume por 4 meses vaga no Senado Federal, após o pedido de licença do titular, Veneziano Vital do Rêgo.


Na justificativa, Rêgo disse que seu pedido foi para assume a campanha da Esposa, Ana Claudia candidata a Prefeita de Campina Grande.


Ney Suassuna foi citado na Operação Calvário do CAEGO da Paraíba, acusado de receber mesalinho de R$ 40 mil mensal do esquema de corrupção que culminou na a prisão do ex-governador, Ricardo Coutinho (PSB), e desvio de R$ 132 milhões da saúde do Estado.

Em junho de 2020, a Justiça da Paraíba determinou o bloqueio de R$ 21,8 milhões em bens do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e de outras oito pessoas denunciadas pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) no âmbito da Operação Calvário, entre eles, o suplente de senador Suassuna no valor de R$ 500 mil.

Também a senadora campinense, Daniela Ribeiro (PP), pediu licença do Senado sem remuneração por 4 meses. Para seu lugar o Suplente, Diego Tavares.
A senadora alegou meses intensos de trabalho junto ao Senado, e aproveitará para estar mais próximos das eleições municipais.

Repórter PB