Publicidades

Entenda porque você deve abolir a margarina da sua alimentação

 E quem não adora um pão quente com margarina ou manteiga por cima?

Sim, a maioria das pessoas adora tanto a manteiga quanto a margarina, mas afinal, qual pode ser a melhor opção para a nossa saúde?

Na verdade, as duas opções não são nada boas para a nossa saúde, o fato é que a manteiga é uma fonte concentrada de gorduras saturadas, ótima quando o assunto é entupimento de artérias e elevação do mau colesterol, chamado de LDL.

A margarina não fica para trás, ela é rica em gorduras trans, ou gordura vegetal hidrogenada, que além de elevar os índices do mau colesterol, reduz as taxas do bom colesterol, chamado de HDL, que é responsável pela limpeza das paredes das artérias.

A margarina foi criada no século XIX como um substituto mais barato que a manteiga. Quando foi criada, a margarina era uma mistura de sebo animal, leite de vaca desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio, gorduras vegetais hidrogenadas, ácido sulfúrico, soda cáustica, ácido benzoico, ácido butil hidroxitolueno (explosivo), galato propila, corante artificial (CI, CII, etc.), aromatizantes artificiais (PI, PIV), antioxidantes artificiais (AV, AVI e AVIII), estabilizantes artificiais, vitamina “A” sintética ou acetato de vitamina A2,20.COC Co).

Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano), ácido fosfórico, soda, resultando numa substância marrom e malcheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado.

Depois de toda essa mistura, será que podemos chamar a margarina de alimento? Provavelmente não, pois depois de todo esse processo, o resultado é um produto com longo prazo de conservação, textura firme mesmo em temperatura ambiente, não pega fungos e não rancifica. Segundo o FDA (Órgão Americano de Fiscalização de Alimentos e Remédios), a gordura da margarina causa mais danos a saúde que a gordura saturada.

Acha que ainda assim a margarina não pode fazer mal a saúde? Há alguns anos atrás, um artigo dos Estados Unidos alertou sobre os grandes perigos desse produto e falando das implicações que as poderosas multinacionais americanas estavam sofrendo no próprio país por colocar no mercado produtos comparáveis ao cigarro em termos de periculosidade, e é interessante esse artigo não ter repercutido no Brasil.

Confira na lista abaixo os “perigos” da Margarina:

– Disfunções imunológicas

– Danos ao fígado e digestivos

– Danos no pulmão e órgãos reprodutivos

– Diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento

– Aumento no risco de câncer

– Transtorno do metabolismo do colesterol

– Incremento de aterosclerose

– Doenças cardíacas

Como explicamos no começo da matéria, tanto a margarina quanto a manteiga fazem mal para a saúde, mas como podemos ver, a menos prejudicial para a saúde é, sem duvidas, a manteiga. Além disso, a manteiga pode ser feita em casa, o que nos da uma segurança do que estamos comendo. Agora se você quer realmente melhorar sua alimentação, aqui vai algumas dicas.

Se for comprar margarina, é bom sempre dar preferência as opções light, com 25 a 95% menos gordura e calorias, e também dar preferência para das margarinas que não contêm gorduras do tipo trans. Já a manteiga, experimente um pão com azeite e uma pitada de sal no lugar da manteiga, ou simplesmente uma geleia diet no lugar da manteiga ou da margarina.

E aí caros leitores, já sabiam dos riscos da margarina? Sabiam que ela é mais prejudicial a saúde do que a manteiga?.