Publicidades

Senador cuecão se licencia por 90 dias em manobra para esvaziar o STF

 


O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi flagrado pela Polícia Federal com R$33 mil enfiados entre as nádegas, protocolou na manhã desta terça-feira (20) um pedido de licença de 90 dias do mandato.

A iniciativa é uma manobra para tornar inócua uma eventual posição do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) referendando seu afastamento por decisão monocrática do ministro Luis Roberto Barroso.

O ministro do  STF afastou Rodrigues judicialmente por 90 dias, a fim de impedir eventuais interferências nas investigações, mas o Senado precisa concordar com a decisão judicial.

A licença de 90 dias não permite a posse do suplente, que é seu filho. O suplente não assume quando a licença do titular do mandato for de até 120 dias.

Mais experiente, o presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (DEM-MT), sugeriu licença de 121 dias para Chico Rodrigues, a fim de permitir a posse do suplente, seu filho.

Rodrigues é suspeito de envolvimento no desvio de recursos públicos das emendas parlamentares destinados a aquisição de materiais de combate à covid-19 em Roraima, seu Estado.