Publicidades

Condenado na Operação Famintos, vereador é reeleito em CG

 


O vereador Renan Maracajá (Republicanos), condenado em primeira instância no âmbito da Operação Famintos, que apurou um esquema de desvios de dinheiro da educação, foi reeleito para o legislativo municipal de Campina Grande.

No pleito desse domingo (15), ele obteve 2.608 votos, ficando com a segunda vaga do partido para a Câmara Municipal da cidade. Em 2016, Renan foi o vereador mais votado da cidade, com 4.977 votos.

Denúncia

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o grupo de pessoas do chamado ‘núcleo empresarial da operação’, que incluía o vereador, praticou os delitos de organização criminosa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, fraude ao caráter competitivo de procedimento licitatório e obstrução de Justiça.

Operação Famintos

A primeira fase da Operação Famintos foi deflagrada no dia 24 de julho de 2019, tendo contado com a participação de 260 policiais federais e 16 Auditores da CGU. Na ocasião, foram cumpridos 67 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos e nas residências, escritórios e empresas dos investigados, bem como 17 mandados de prisão.

Na segunda fase da operação, realizada em 22 de agosto de 2019, a PF ampliou a desarticulação do núcleo empresarial da organização criminosa, responsável pela criação de ‘empresas de fachada’, utilizando-se de pessoas que tinham consciência de suas situações na condição de ‘laranjas’. Nesta terceira fase, a operação contou com a participação de 20 policiais federais.

De acordo com o que foi apurado, pelo menos desde 2013 a organização criminosa criou uma rede de pessoas jurídicas de fachada para participar de procedimentos licitatórios em vários municípios do estado, principalmente em Campina Grande, sobretudo para a compra de merenda escolar com recursos provenientes do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Portal Correio