Publicidades

Prefeito de Sapé é acusado de exonerar funcionários da Saúde após derrota do seu candidato

 




Mesmo em período vedado pela Lei nº 9.504/1997 que visa evitar o uso de cargos e funções públicas em benefício de determinadas candidaturas e partido pelo período de três meses, determinando que não se pode contratar ou exonerar, o prefeito de Sapé Roberto Feliciano iniciou a manhã desta segunda-feira (16) exonerando servidores da saúde.

O fato se deu após a derrota de Luizinho, candidato a prefeito apoiado pelo atual gestor e que foi derrotado neste domingo (15) pelo Major Sidnei.

De acordo com um dos profissionais exonerados hoje, ele recebeu uma ligação informando que não precisaria trabalhar mais, indicando ainda que se dirigisse ao RH e procurasse Cristiane Feliciano para pegar a carta de exoneração do cargo.

Enfermeiros do hospital, médicos e até servidora gestante foram alvo da revolta do prefeito que não elegeu seu sucessor.

“Isso é perseguição política, além de crime eleitoral, pois estamos em período vedado para exoneração. Mas, o secretário Júnior Leal confirmou que não adianta espernear, estamos exonerados”, disse um funcionário.

Portal do Litoral